top of page

Projetos de saúde pública em SP, MG e CE vencem prêmio CriAção SUS



Cinco projetos de saúde pública implantados em diferentes serviços do Sistema Único de Saúde nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Ceará venceram o Prêmio “CriAção SUS”, iniciativa inédita do Instituto Brasileiro das Organizações Sociais de Saúde (Ibross) apoiada pelo Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde), Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e Instituto Ética Saúde, com assessoria técnica da Neurônio.


O anúncio dos ganhadores ocorreu na tarde desta sexta-feira, 8 de dezembro, em cerimônia realizada na sede da OPAS/OMS (Organização Pan-Americana da Saúde), em Brasília (DF). O objetivo da premiação, que recebeu cerca de 400 inscrições de cases de todo o país desde agosto, é reconhecer, destacar, incentivar e disseminar as ações e projetos de sucesso na gestão da saúde pública brasileira, com a finalidade de solucionar problemas concretos para proporcionar mais qualidade, segurança e eficácia no atendimento aos pacientes da rede pública.


Foram premiados projetos relativos a ações de telemedicina, reabilitação e cuidados paliativos, assistência a idosos, vacinação e resposta rápida em pronto-atendimento, inscritos em cinco categorias. Dos vencedores, dois são do estado de São Paulo, dois do Ceará e um de Minas Gerais (veja abaixo relação completa dos três primeiros colocados em cada categoria). Os autores dos projetos foram contemplados com prêmio em dinheiro de R$ 10 mil, e as instituições receberam um certificado do Ibross.Na categoria “Atenção Primária” o serviço ganhador do “CriAção SUS” foi a Unidade Básica de Saúde (UBS) Dr. Orestes Moura Pinto, de Guatapará, no interior paulista, com o case “Plano de ação de aumento de cobertura vacinal da influenza em um município de pequeno porte populacional, no interior de São Paulo. A unidade é de administração direta da Secretaria Municipal de Saúde de Guatapará.


Já na categoria “Atenção Especializada” venceu a Casa de Cuidado do Ceará, de Fortaleza (CE), com o case “Implantação de uma unidade de transição de cuidados para desospitalização segura com foco na reabilitação e nos cuidados paliativos”. O serviço, estadual, é gerido pela organização social de saúde ISGH (Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar).


Na categoria “Pré-Hospitalar” o prêmio do Ibross foi para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Russas, no Ceará, que apresentou o case “Implantação de time de resposta rápida de pronto-atendimento”. O serviço, ligado ao município, é administrado atualmente pela organização social de saúde IGC (Instituto de Gestão e Cidadania).


Em “Atenção Hospitalar Exclusivo SUS”, o vencedor do prêmio foi o Hospital e Maternidade Municipal “Dr. Odelmo Leão Carneiro”, de Uberlândia (MG), com o case “Linha de Cuidado a Pacientes Idosos com Fratura de Fêmur”. A unidade, ligada à prefeitura de Uberlândia, é gerida pela organização social de saúde SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina).


Por fim, na categoria “Atenção Hospitalar Não-Exclusivo SUS”, a primeira colocação ficou com a Casa de Saúde Santa Marcelina, na capital paulista, com o case “O impacto positivo da telemedicina no gerenciamento do infarto agudo do miocárdio, reduzindo os custos e mortes no Sistema Único de Saúde”. O serviço é filantrópico.Sobre o prêmio


O “CriAção SUS” visa incentivar a implantação de novas tecnologias e de soluções inovadoras que contribuam com o desenvolvimento e o fortalecimento do SUS.Um dos critérios levados em conta pelos avaliadores dos projetos inscritos no “CriAção SUS” para a seleção dos finalistas que concorreram ao prêmio foi a possibilidade de o case ser replicado em outros serviços públicos de saúde pelo país.


Os 15 trabalhos selecionados como finalistas passaram pelo crivo de uma banca examinadora formada por especialistas em saúde da OPAS, do Instituto de Estudos para Políticas e da FGV.


Fonte: Ibross

0 visualização

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page